Categoria: Diversos

Como está o varejo na era digital?

laptop and shopping bags, online shopping concept.

Muitas empresas acreditam que, precisam seguir “a moda” do digital, estar firmes e fortes disponíveis para o seu cliente em todas plataformas e canais possíveis, como por exemplo Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, Youtube, ter um aplicativo, e por aí vai…

A parte ruim não é estar presente em todos esses meios, pelo contrário, isso é ótimo, porém, de que adianta estar em dez canais e administrar apenas um ou dois?

De nada adianta estar onde o seu consumidor quer te ver, mas não ter o suporte e atendimento eficaz que ele espera, não é mesmo?

Para atuar em diversos canais, você precisa entender que cada um deles demanda um tipo de cuidado específico. Sem uma estratégia bem definida antes de colocar as ações em prática, talvez os seus perfis em algumas plataformas sejam só mais alguns na multidão, abandonados, e muitas vezes, não serão vistos nem pelos seus fiéis clientes. Sem um caminho traçado, a empresa se perde e o cliente também.

Além disso, precisamos sempre lembrar que o online e offline se complementam, ou seja, não podemos deixar nenhum de lado, nem trocar um pelo outro. A capacidade de união e transformação nesses meios, é o que torna as empresas grandes competidoras entre si.

Você precisa saber em que momento da vida seu cliente está, para abordá-lo da melhor forma. Saber o nome, a idade e o gênero já não é mais o suficiente.

No começo deste ano tive o prazer de estar presente na NRF, a maior Feira de Varejo do Mundo, e vou compartilhar aqui as principais dicas que trouxe de lá:

Faça o seu cliente viver a melhor experiência possível com o seu produto ou serviço.

Aproveite a tecnologia para inovar sempre, facilitando o processo de compra do seu cliente, diminuindo o tempo e a jornada que ele precisa trilhar até ser dono do produto ou adquirir o serviço.

Tenha sempre em mãos um storytelling da sua marca, onde você consiga contar do início ao fim toda a história, dê ao consumidor uma experiência de imersão exclusiva.

“Hoje para ser visto é preciso estar presente em todos os lugares” é o que mais ouvimos por aí, concorda? Mas lembre-se que, isso só vale à pena se for com a estratégia traçada e seguida do início ao fim, caso contrário, seu produto estará em uma vitrine invisível.

Gostou das dicas? Continue nos acompanhando nas Redes Sociais: facebook, instagram e linkedin @grupoprojeto

Hoje meu papo é com você, empreendedor e empresário que está começando o seu negócio ou precisa melhorar a imagem da sua marca no mercado.

O posicionamento de uma marca nada mais é do que a forma como você quer que o seu cliente te veja. E o objetivo de ter uma marca bem posicionada é melhorar a percepção de valor da marca junto ao seu cliente.
E por falar em valor, o seu produto ou serviço é: Melhor do que o concorrente, sinônimo na categoria, tem um benefício específico ou é mais barato? Pra começar, é importante definir quais são os diferenciais que fazem dele melhor do que o concorrente.

E te faço uma pergunta ainda mais audaciosa, você sai de casa sem saber onde vai? Com certeza, você não vai querer correr o risco tão grande de se perder no meio do caminho, certo?

Agora imagine esta mesma situação para o seu negócio, faz desse risco uma perca de energias, investimentos e tempo. Ter um objetivo para onde sua empresa quer chegar, é essencial para determinar o posicionamento de marca.

E para definir as estratégias do seu posicionamento de marca, comece identificando os valores da sua empresa, a essência e tudo aquilo que faz parte da sua personalidade como dono e que você deseja propagar.
Com isso bem claro em sua mente, o valor da sua marca virá de dois fatores: A estratégia do posicionamento ou a experiência que o cliente teve com ela.

A proposta de valor, amarra os valores (a sua essência e o seu diferencial) de uma forma mais racional.

O posicionamento de marca, traduz essa proposta de valor ao mercado de uma forma clara e convincente, para que o cliente compre esta ideia.
Agora que você já entendeu o conceito de posicionamento de marca, vamos começar?

Faça as seguintes perguntas:

Pra quem é o seu produto ou serviço?

Qual a dor real do seu cliente?

Qual o seu diferencial, que fará com que ele compre o seu produto ou serviço?

Depois de responder a estas perguntas, defina em uma frase a essência do seu negócio:“Para os (clientes-alvo) que precisam de (dor do cliente), somos o (produto/serviço), (diferencial).”  Por exemplo: Para os profissionais de marketing que precisam de uma agência completa, somos o Grupo Projeto, há 18 anos no mercado responsável pelos melhores eventos corporativos e digital.

Nestes 18 anos empreendendo e trabalhando na área de marketing, pude perceber alguns erros comuns na hora de definir o posicionamento de marca, então, veja algumas dicas e erros comuns:

1. Se os próprios colaboradores não conhecem a essencia do negócio, talvez seja o momento de repensar o seu projeto.

2. Inovação não é mais diferencial competitivo, os valores da sua marca não podem depender disso, avalie também o custo, acessibilidade e a confiança que aos clientes possuem na empresa.

3. Substitua o “O que posso oferecer ao meu cliente” por “Qual a dor real do meu cliente”

Alguns cases de marcas com bom posicionamento no mercado

Pepsi

Se assumiu como segunda opção dos brasileiros e adotou o slogan “Só tem Pepsi, pode ser?” contribuindo para o aumento significativo de vendas.

Dove 

Se posiciona como a marca que valoriza a beleza natural das mulheres com campanhas que quebram tabus, mostram a diversidade e trazem à tona a linguagem emocional explorada pela marca.

Starbucks 

Não é um simples café, é a experiência completa. E a experiência é o foco da marca para os seus clientes, tanto na personalização – os clientes recebem seus copos de bebidas com o próprio nome escrito à mão – até as suas lojas confortáveis e aconchegantes.

O posicionamento de uma marca não é um ato e sim um processo contínuo. Se o mundo mudar, esteja preparado para mudar com ele. Estude, entenda o mercado e mantenha-se sempre atualizado para lidar com os novos consumidores, assim, a sua marca estará sempre à frente da concorrência.

Gostou das dicas? Continue nos acompanhando! Face e insta @grupoprojeto

Sugestão de livro: Posicionamento: A batalha por sua mente” – Al Reis e Jack Trout

Você trabalha com bons eventores?

Os eventos deixaram de ser feitos apenas em ações extremamente relevantes ou comemorativas. Atualmente, este mercado vem crescendo a cada ano.

As empresas estão apostando cada vez mais em eventos diferenciados, seja para os colaboradores, clientes, potenciais clientes, entre outras pessoas que façam parte do interesse de relacionamento da empresa.

Eventos que chamam atenção atraem resultados positivos para a empresa e para os convidados. A equipe fica mais motivada, a empresa ganha popularidade, destaque na mídia, visibilidade, e além disso, estreitam o relacionamento com clientes, parceiros e fornecedores, potencializando as chances de novos negócios.

O Grupo Projeto trabalha há 18 anos com excelentes eventores, dedicados de corpo e alma para entregar eventos de excelência, que superem as expectativas de todos que estiverem presentes. 

É de extrema importância ter profissionais capacitados para esse tipo de trabalho, pois, o trabalho do profissional de eventos é cirúrgico, onde qualquer falha, por menor que seja, pode resultar em um grande fracasso. Por isso valorizamos todos os profissionais da área, não só hoje, como todos os dias, para que enxerguem o seu valor e a sua importância, que é fundamental para proporcionar experiências inesquecíveis a todos nossos clientes.

Hoje, dia 30 de abril, é comemorado o dia do Profissional de Eventos, e desejamos parabéns a todos, por toda a dedicação de sempre! 

Você já pensou em trabalhar com eventos? Temos um post aqui no Blog com diversas dicas, confira: https://grupoprojeto.com/2018/03/voce-ja-pensou-em-trabalhar-com-eventos/

Antes de tomar essa decisão você precisa entender algumas coisas:

O que faz uma agência e o que faz uma consultoria?

Nem todas as agências e consultorias trabalham da mesma forma. Cada caso é um caso. E não existe uma resposta pronta para essa pergunta, tudo depende do momento em que a sua empresa se encontra.

Você precisa saber, primeiramente, quais são os seus principais objetivos. Quanto você quer crescer? Quanto pretende investir e qual é o retorno sobre o investimento que você está esperando? Definir algumas metas é um passo importantíssimo quando se pretende fazer qualquer investimento.

Aqui vão alguns exemplos de objetivos que você pode desejar alcançar:

• Ter um site otimizado, que proporcione satisfação ao seu cliente em potencial, trazendo mais clientes;

• Aumentar o seu reconhecimento de marca, fazendo com que mais pessoas conheçam você e seu produto ou serviço;

• Estar presente toda vez que alguém precisar do seu produto ou serviço;

Estar com uma boa imagem na internet é tão importante quanto ter uma boa imagem em seu escritório, ou na rua, por exemplo. Não é uma questão de “deixar para o meu sobrinho fazer” ou “é fácil, eu mesmo faço”, pois demanda tempo, muita estratégia e planejamento. 

Atualmente, se você não tem uma presença forte e estratégica na internet, talvez não seja possível estar presente quando o seu cliente mais precisa de você, e com isso, você acaba perdendo credibilidade, ficando atrás de seus concorrentes.

Mas, afinal, o que faz uma Agência de Marketing Digital?

O trabalho de uma agência, seja digital ou não, está muito mais ligado à execução de uma estratégia de comunicação, ela é muito mais operacional. Além de criativa, claro. Uma agência irá colocar em prática algumas ações necessárias para alavancar a comunicação da sua marca/empresa. Através de ferramentas específicas, a agência executa as ações necessárias para atingir os objetivos definidos pelo cliente. Trata-se do conhecimento operacional do marketing digital. 

Vantagens: ao ter uma agência como parceira, sua empresa contará com profissionais para auxiliar na execução das estratégias. 

Desvantagens: algumas agências não mantém um trabalho realmente próximo de seus clientes e com isso criam estratégias superficiais, não tão bem alinhadas com os objetivos e metas do cliente.

E o que faz uma Consultoria de Marketing Digital?

O principal papel da consultoria é mostrar o caminho, orientar e aconselhar o cliente. 

Enquanto uma agência operacionaliza, a consultoria guia estrategicamente as ações. Trata-se do planejamento por trás das ações. Muitas vezes as empresas precisam de ambas, por possuírem pouco ou nenhum conhecimento interno de marketing digital. A consultoria aplica o conhecimento analítico e desenha a estratégia digital como um todo, estabelecendo metas, KPI’s, fazendo análise de mercado, concorrência, etc. 

Na consultoria, toda a empresa se envolve nos processos e aprende a colocar ações em prática. Logo, esse trabalho servirá como base para futuras mudanças ou intervenções na maneira como o negócio desenvolve suas estratégias de marketing.

Diferentemente da agência de comunicação, a consultoria tem um período bem estabelecido. Não há de imediato uma entrega contínua de serviços, mas sim a identificação e a solução de problemas. O processo de consultoria pode variar bastante, mas alguns dos principais passos são:

• Identificação do problema;

• Análise dos atuais resultados;

• Definição de novos objetivos;

• Criação e implementação de estratégias;

Vantagens: o conhecimento da estratégia tende a permanecer com a sua empresa. Mesmo que você cancele o contrato com o consultor, o trabalho realizado até o momento não será perdido. A Consultoria precisa ser vista como um investimento visando o crescimento, e não apenas um gasto.

Desvantagens: não são todas as consultorias que executam as ações propostas, isso pode variar de uma para outra. 

Qual devo contratar?

Para tomar essa decisão você precisa levar em conta o ponto em que sua empresa se encontra nesse momento e o ponto onde ela quer chegar. 

Existem diversos tipos de consultoria, como em marketing, comunicação ou gestão de pessoas. Para definir qual se adapta melhor à empresa, é preciso analisar os “gaps” existentes.

A agência de comunicação, por sua vez, tem uma maior abrangência. Ela pode ficar responsável pela comunicação da companhia com o público interno e externo por tempo indeterminado, criando peças e estratégias para aperfeiçoar a comunicação. 

No entanto, é importante destacar que uma atuação não elimina a outra. Trata-se de serviços diferentes, que podem se aliar para o crescimento da empresa.

Se o seu negócio tem condições (e a necessidade) de contratar os serviços de consultoria e uma agência de comunicação, não há por que não fazer isso. Assim, o desenvolvimento será mais rápido e eficaz.

Agora que você já entendeu um pouco mais as diferenças entre uma Agência e uma Consultoria de Marketing, é hora de partir pra ação. 

Pra saber mais sobre o assunto e garantir um suporte completo para a sua empresa, acesse www.grupoprojeto.com/digital-e-performance e entre em contato com a gente! Estamos há 18 anos no mercado sendo O Braço Direito dos nossos clientes.

Hoje iremos do offline de volta ao online, em que página do site Google sua marca está? Pra início de conversa, se a sua empresa não tem presença digital, já passou da hora de investir.

E pra você que mesmo com a marca ativa em todas as redes sociais e sites não tem resultados significativos no seu negócio, vou te dar algumas dicas que podem te ajudar a aparecer nesse mar de dados.

Imagine-se na seguinte situação: Você chega tarde do trabalho e perdeu as suas chaves de casa, à essa hora não tem nenhum estabelecimento aberto e nem ninguém que possa te ajudar. Qual a sua primeira reação? Você pega o seu smartphone e pesquisa “Chaveiro 24 horas”, certo?

Não é a toa que a palavra “Chaveiro” acumula de 10 à 100 mil pesquisas mensais. 

Imagine essa quantidade de buscas feitas para localizar o seu negócio? Seria fantástico!

Primeiro, precisamos entender como o site funciona e como ele determina quem aparece primeiro nos resultados de busca, então vamos lá.

Para rankear as palavras nas primeiras páginas o Google possui dois tipos de segmentação: 

Segmentação paga

Onde uma marca paga determinado valor para ficar nas primeiras páginas, esse valor dependerá da demanda, procura e principalmente, da posição que você quer estar.

Segmentação orgânica

Nessa opção o conteúdo oferecido pela marca na internet irá definir se ela é relevante ou não. Aqui, você não precisará pagar para aparecer, mas precisa ser referência com um bom conteúdo que seja interessante para os internautas.

Além de um bom conteúdo de valor, é preciso criar uma estratégia minuciosa, pra isso, siga alguns passos:

1 – Defina quem é o seu público

Qual a idade, quais são os hábitos e quanto mais você souber, melhor!

2 – Descubra onde está o seu público

Qual a região, quais sites ele mais acessa… 

3 – Descubra quais são as palavras-chave com as “dores” do seu cliente. 

Se o seu produto ou serviço cura alguma dor do cliente, quais termos ele usa para buscá-lo quando está com essa dor?

4 – Defina a sua estratégia

Depois de conhecer o seu público, é hora de desenhar uma estratégia que siga os valores da sua marca e deixe os rastros digitais certos pra ela ser encontrada.

5 – Fique online

Mesmo no Digital, você precisa investir no contato com o seu cliente. Ter um SAC 2.0 ativo é essencial para manter um relacionamento duradouro.

Agora que você já entendeu um pouco mais do universo Google é hora de partir pra ação. Isso é apenas uma parte de como funciona, portanto, antes de começar, consulte um especialista do mercado.

Hoje em dia, a tendência são as Consultorias Digitais, que preparam um diagnóstico completo da sua marca para que você tome as melhores decisões. Pra saber mais sobre esse tipo de consultoria, acesse www.grupoprojeto.com/digital-e-performance